OCS amplia número de famílias de agricultores cadastrados em Bonito

A Organização de Controle Social (OCS) Vida Agroecológica vai ampliar o número de famílias de agricultores cadastradas no Ministério da Agricultora, Pecuária e Abastecimento – MAPA. A iniciativa é realizada dentro do grupo de produtores orgânico, do município de Bonito, que contam com Assistência Técnica e Extensão Rural do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA).

“Serão mais quatro famílias agricultoras atendidas pelo serviço do Instituto, inseridas na OCS Vida Agroecológica. Com isso, passa de vinte o números de famílias cadastradas como produtoras orgânicas”, explica o extensionista do IPA e coordenador do projeto, Ramon Bezerra.

A entidade reúne famílias agricultoras, técnicos e consumidores, foi criada em Bonito no intuito de garantir a qualidade de produtos orgânicos, perante o Mapa. Atualmente, o grupo comercializa os produtos no Mercado da Vida, espaço público onde ocorre a feira semanal de produtos orgânicos, como também para a merenda escolar do município, por meio do Programa Nacional Alimentação Escolar – PNAE.

Em breve, fornecerão ao Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, em parceria com a Cooperativa da Agricultura Familiar do Estado de Pernambuco – COOPEAFA, a Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB e o Serviço Social do Comércio – Sesc Recife.

“A ampliação do quadro de famílias agricultoras na OCS é um indicativo que o Projeto Vida Agroecológica tem, apesar de todas as dificuldades, se consolidado como proposta de desenvolvimento para a agricultura familiar de Bonito” diz Bezerra.

A OCS foi criada no último mês de abril como uma das ações do Projeto Vida Agroecológica, uma articulação entre famílias agricultoras em processo de transição agroecológica, o Instituto Agronômico de Pernambuco – IPA, a Prefeitura Municipal do Bonito, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE e Coletivo Aimirim.

A Organização de Controle Social pode ser formada por um grupo, associação, cooperativa ou consórcio, com ou sem personalidade jurídica, de agricultores familiares. Mas, para que a Organização seja reconhecida pela sociedade e ganhe credibilidade, é preciso que entre os participantes exista uma relação de organização, comprometimento e confiança.

O papel da Organização de Controle Social é orientar de forma correta os agricultores que fazem parte dela. Por isso, quando necessário, ela deverá consultar a Comissão da Produção Orgânica – CPOrg da unidade onde estiver situada sobre decisões técnicas que lhe estejam atribuídas pelos regulamentos da produção orgânica.

Mais informações sobre Organização de Controle Social (OCS e credenciamento de organismos responsáveis pela certificação de produtos orgânicos: http://www.agricultura.gov.br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/cartas-de-servico/desenvolvimento-agropecuario-cooperativismo-e-associativismo-rural/producao-organica

Compartilhar