História da Cidade

O motivo de chamar-se de Bonito, provém do fato que alguns habitantes a margem do Ipojuca, principalmente do povoado de São José dos Bezerros, vinham caçar na direção da Serra dos Macacos, amantes da caça e da aventura, esses caçadores adentravam essa rica fauna e flora, quando um regato límpido e cristalino, fez com que eles exclamassem: “Que rio bonito” e daí o número de pessoas foi aumentando surgindo assim o povoado Rio Bonito, e com o tempo suprimindo o Rio ficando apenas Bonito.

Rico em história, o município de Bonito escreve nas suas páginas o movimento Sebastianista da Serra do Rodeador, chamado “Massacre do Rodeador”, um fato histórico que se passa no século XIX, precisamente em 1820, no sítio Rodeador, onde o líder Silvestre José dos Santos, cria uma seita com cultos a Dom Sebastião Rei de Portugal e a Nossa Senhora da Pedra. A cruel matança ao povo do Rodeador seria lembrada em 1822, pelo futuro imperador D. Pedro I, em frase: “Recordai-vos pernambucanos das fogueiras de Bonito!”. Além desse movimento, Bonito participou da Guerra dos Cabanos, Revolução Praeira e Revolução do Quebra-Quilo.

Bacamarteiros
Estrada das Cachoeiras
Sede da Prefeitura
Cachoeira Véu de Noiva I
Banda do Biu
Cachoeira Véu de Noiva